Câmeras de segurança filmaram feminicídio na QND 52 de Taguatinga — Foto: Reprodução

Segundo a polícia, Rosileia Pereira Freitas, de 36 anos, recebeu mais de 30 facadas do ex-companheiro na frente da mãe. Diego Freitas, de 40 anos, foi preso em flagrante pelo crime de feminicídio.

Uma câmera de segurança de uma residência na QND 52 de Taguatinga filmou o feminicídio praticado por volta das 16h30 da tarde do último sábado (13). A vítima, Rosileia Pereira Freitas, de 36 anos, caminha ao lado da mãe quando é atacada pelo ex-companheiro, Diego Nunes Freitas, de 40 anos, com quem conviveu por mais de 20 anos.
Câmeras de segurança flagraram feminicídio na QND 52 de Taguatinga, no DF
--:--/--:--

https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2021/02/14/video-camera-de-seguranca-filma-feminicidio-em-taguatinga-no-df-odio-no-coracao-disse-ex-companheiro-a-policia.ghtml 

Câmeras de segurança flagraram feminicídio na QND 52 de Taguatinga, no DF

As imagens mostram Diego chegando por trás e já agredindo Rosileia. Ele a derruba e fica esfaqueando a ex-mulher por mais de dois minutos. A mãe dela ainda tenta impedir o crime usando um guarda-chuva, mas sem sucesso. Ao todo, foram mais de 30 facadas na região do pescoço e das costas.

Rosileia Pereira Freitas, 36 anos, vítima de feminicídio no DF — Foto: Arquivo pessoal


Rosileia Pereira Freitas, 36 anos, vítima de feminicídio no DF — Foto: Arquivo pessoal

Rosileia tinha ido buscar a mãe na rodoviária quando Diego se aproximou de surpresa.

"Ele não aceitou o fim do relacionamento e ela já vinha sofrendo várias agressões. E em vez de procurar a Justiça, a polícia ela preferiu se afastar, terminar e tocar a vida dela. E ontem, infelizmente, quando ela estava vindo da rodoviária com a mãe ele a viu, deu a volta e se aproximou com uma faca de açougue para agredi-la", contou o delegado Josué Pinheiro, da 12ª DP (Taguatinga centro).

Faca usada em feminicídio em Taguatinga, no DF — Foto: Polícia Militar/Reprodução

Faca usada em feminicídio em Taguatinga, no DF — Foto: Polícia Militar/Reprodução

Diego só parou de esfaquear a ex-companheira quando viu que ela já estava morta.

"Ele não aceitou o fim do relacionamento e ela já vinha sofrendo várias agressões. E em vez de procurar a Justiça, a polícia ela preferiu se afastar, terminar e tocar a vida dela. O autor disse que deixou o ódio entrar no coração dele e isso foi o que motivou a execução da sua ex-companheira", disse o delegado.

Rosileia morreu no local. A Polícia Militar foi chamada e conseguiu prender Diego em flagrante. Um vizinho chegou a sair de casa com uma barra de ferro nas mãos, mas já era tarde. Rosileia, também conhecida como "Leia", já estava sem vida.

Diego Nunes Freitas, 40 anos, suspeito de matar a ex-companheira Rosileia Pereira — Foto: Arquivo pessoal

Diego Nunes Freitas, 40 anos, suspeito de matar a ex-companheira Rosileia Pereira — Foto: Arquivo pessoal

Diego foi preso em flagrante e vai responder pelo crime de feminicídio, com pena que varia de 12 a 30 anos de prisão.

Rosileia tinha dois filhos com Diego, uma jovem de 18 anos e um rapaz de 8 anos. Segundo a polícia, a menina também já tinha sido agredida por ele, mas não chegou a registrar ocorrência na época da violência.