Foto: Divulgação/Abrace Esperança

Aprovado na forma de substitutivo, o PL visa, entre outras medidas estimular a produção de pesquisas científicas

Para incentivar a difusão de informações, apoio e suporte técnico aos pacientes  que utilizam “maconha medicinal” em tratamentos de patologias diversas, nos casos autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o deputado Leandro Grass (Rede) propôs o projeto de lei nº 1.429/2020, apreciado em primeiro turno pela Câmara Legislativa nesta quarta-feira (24). “Há muitos tabus na dimensão farmacêutica e terapêutica do uso da cannabis medicinal. Por isso, em muitos casos, é preciso recorrer ao judiciário, o que dificulta o acesso, principalmente, das famílias de baixa renda”, comentou o autor da proposição.

Aprovado na forma de substitutivo, o PL visa, entre outras medidas estimular a produção de pesquisas científicas. “No processo de regulamentação da cannabis medicinal e da expansão do seu uso, notou-se a necessidade de uma série de informações para a segurança dos pacientes, que precisam conhecer com exatidão os componentes e efeitos do que estão consumindo”, acrescentou Grass, ao justificar o projeto.

Marco Túlio Alencar do Núcleo de Jornalismo - Câmara Legislativa