A secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, na live: atividade artesanal gera emprego e renda para toda a comunidade | Fotos: Divulgação/Setur

 A importância da atividade dos artesãos para o turismo é o tema central do evento, que ocorre em formato virtual.

Seja como propulsor de geração de emprego e renda, seja como estímulo ao empreendedorismo social, o artesanato tem o poder de transformar realidades, com produtos que revelam a cultura e a história de um lugar. Para ampliar as possibilidades de capacitação para o setor, a Secretaria de Turismo (Setur) promove, até sexta-feira (26), o I Fórum do Artesanato do DF. Com painéis transmitidos em tempo real pelo canal da secretaria no YouTube, o evento é todo em formato virtual, seguindo os protocolos de segurança de prevenção à covid-19.

“Nosso governo está trabalhando em conjunto para manter viva a economia criativa do DF, fomentando, cada vez mais, ações para a promoção de emprego e renda”Vanessa Mendonça, secretária de Turismo

Quem abriu a semana foram as autoras do livro Artesanato: Tradição e Permanência, Mercês Parente e Malba Aguiar. Elas apresentaram a palestra A importância do Artesanato no Turismo. “O artesanato fortalece a diversidade do que é oferecido pelo trade do turismo”, resume Mercês. Especialista em projetos voltados a geração de renda e autossustentabilidade, Malba ressalta a importância do papel das pessoas envolvidas na produção artesanal:  “O artesão precisa se reconhecer como profissional integrante da cadeia produtiva responsável pelo fomento econômico e social, e não apenas da sua comunidade”.

Na terça (23), às 10h, a coordenadora de promoção do artesanato na Setur, Ana Beatriz Ellery, inicia o bate-papo com o tema Artesanato, cultura e empreendedorismo. N sequência, às 11h, a pesquisadora Ana Cláudia Oliveira, da Incubadora de Tecnologia Social do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Universidade de Brasília (CDT/UnB), abordará a importância do artesanato como instrumento de empreendedorismo social.

R$ 1,4 milhão
renda aproximada gerada por ações do GDF de incentivo ao artesanato nos dois últimos anos

A secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, destaca que o artesanato tem papel relevante na consolidação de um destino. “O turismo ganha com o artesanato”, pontua. “A venda dessas peças, verdadeiras obras de arte, encanta nossa população e visitantes, que levam a cultura da nossa cidade para o mundo, movimentando a economia local, gerando emprego e renda, não só para a família do artesão como também para toda a comunidade”.

Qualificação


Estimular a qualificação da produção artesanal no DF, afirma a secretária, é medida prioritária da atual gestão e ação contínua capaz de contemplar diretamente mais de 11 mil artesãos cadastrados pela pasta. Nos últimos dois anos, iniciativas promovidas pelo GDF por meio da Setur geraram R$ 1.375.660,47 em vendas e beneficiaram mais de 5 mil famílias.

“Sobretudo no contexto atual, é hora de mobilização e integração”, lembra Vanessa Mendonça. “Nosso governo está trabalhando em conjunto para manter viva a economia criativa do DF, fomentando, cada vez mais, ações para a promoção de emprego e renda, oferecendo sempre a essas famílias perspectivas de um futuro melhor”.

Até quinta-feira (25), o I Fórum do Artesanato do DF segue com painéis virtuais com especialistas, representantes do GDF e entidades parceiras. Na sexta (26), o evento será encerrado às 17h, com o lançamento do Catálogo do Artesanato de Brasília. O acervo virtual reúne obras de 35 profissionais e será distribuído a lojistas, embaixadas, setor hoteleiro e formadores de opinião da capital federal.

I Fórum do Artesanato no DF – Programação

  • Terça-feira (23): painel Artesanato, cultura e empreendedorismo
    * 10h: palestra Entendendo a base conceitual do artesanato, com Ana Beatriz Ellery, coordenadora de promoção do artesanato na Setur.
    * 11h: palestra Empreendedorismo social e artesanato, com Ana Cláudia Oliveira, pesquisadora na Incubadora de Tecnologia Social do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Universidade de Brasília (CDT/UnB).
    * 12h: vídeo com depoimento do aprendiz artesão Carlos.
  • Quarta (24): painel Previdência Social do artesão e microcrédito.
    * 10h: palestra Direitos e deveres do artesão na Previdência Social, com Gláucio Souza, auditor fiscal da Receita Federal/Ministério da Economia.
    * 11h: palestra Microcrédito para o artesão, com Fabiane Otávia dos Santos, gerente de Área de Microcrédito do Banco de Brasília (BRB).
    * 12h: Vídeo com depoimento da artesã Eliana Teixeira.
  • Quinta (25): painel Mídias sociais.
    * 11h: palestra A importância das mídias sociais na comercialização do artesanato, com representante do Sebrae a ser definido.
  • Sexta (26): às 17h, lançamento do Catálogo do Artesanato de Brasília.

Com informações da Setur